Posts com Tag ‘tédio’

Nada para se fazer, a não ser pensar em mim.
Nenhum jogo na TV, nenhuma conversa interessante, nenhuma terra para se descobrir.
Nada muito para se fazer, a não ser preencher o tempo com letras no papel e pensamentos supérfluos.

Esse é mais um sábado qualquer, buscando matar o tempo, dar risada e ser um pouco do rascunho do projeto de vida que havia feito outrora. Dia de pensar, o último dia da criação. Dia para pensar, o que vem do além, para nossas vidas.

Um dia qualquer, tedioso como ele só. Para quem gosta de badalação, a aventura é não ficar parado…é tentar mexer o corpo para não se encontrar parado pensando. É triste se encontrar parado e pensante. O Tédio não ajuda. O mundo parece mais desinteressante. A vida parece estar sem sal.

E a existência? Ela esbarra em um sábado, esbarra nos pensamentos introspectivos, esbarra em tudo que não pensamos em movimento constante. Talvez seja melhor assim. Enganar a própria sorte, enganar a própria sensação de que se tem de que está tudo bem… está tudo ok, não é?!

As sensações não se enganam, a verdade só se esconde. Mas está tudo bem, né! O importante é não olhar para o lado, não sentir nada além dos seus próprios pensamentos. O importante é não olhar para dentro, não sentir muitos sentimentos, pois pode lhe dar dúvidas do que faz e o que se tornou.

É só outro sábado, outrora sagrado, mas hoje é só mais um dia. Para alguns é descanso. Para outros é apenas uma pausa indefinida, pois domingo é a pronuncia de uma odiosa Segunda-feira.
É dia de sair e se divertir…talvez. É dia de orar…talvez. O mais importante é não pensar muito. Evitar o reflexo, evitar a reflexão.

É só outro sábado. Um tédio só. Um mundo de oportunidades perdidas. Um mundo de opções esgotadas. O mais importante é estourar o champagne e comemorar com sorriso no rosto todas as coisas boas da noite que virá. O mais importante é curtir esse sábado, como todos os outros durante todos os anos possíveis. O mais importante é não ficar parado refletindo sobre si.

Erros passados.

Publicado: junho 30, 2010 em Sem categoria
Tags:, , , , , , ,

Quanto tempo demora a apagar os pecados? Quantos filhos teus nascerão sem essas máculas? É preciso perdoar os pecadores, mas nunca esquecer os pecados?
Até quando os erros devem ser lembrados, até quando devemos chorar os fortes golpes nas costas? Nossos pais não sentem mais as dores, nossas costas parecem ser mais fortes.
Quanto tempo persiste o erro? Ele que persiste e vive em nossa história. O erro macula nossa vida passada. Esses erros difíceis de esquecer. Esses erros que devem ser esquecidos.

Como esqueceremos os seus pecados e nos juntaremos em sinal de honra?
Sua bota ainda tem um pouco de sangue, sua mão ainda é sentida em nossa garganta…quanto tempo para sumir as marcas? Quanto tempo será necessário para poder esquecer e ultrapassar os erros?

O mundo mudou desde os últimos erros. Talvez tenha sido para melhor, talvez não tenha mudado tanto assim. A nossa amizade cresce a cada dia, mas ainda choro pelos golpes nas costas, que transcendem nosso sangue. O velho golpe que transcende todo esses pensamentos. E cá aqui estou, lembrando de todos os maus momentos, para ter uma resposta para ti….Quanto tempo depois, nós devemos esquecer os velhos erros?

Essa força que tiveras, dominou toda a concepção de mundo. Mudou a forma e a razão. Transformou tudo da forma que era antes…mas e agora, nossa imaginação é livre, nossa vida é nossa, e sua força ainda se sente através do tempo. Admirável até nos dias obscuros. Estranho ter tamanho apego após tanto mal que causaste. Nos pegamos pensando: “Quanto tempo após os erros, devemos esquecer?”

Todas essas lembranças, parecem até mágoa. Você na forma do seu filho, não deveria ver tanta mágoa. Essas cicatrizes, são a lembrança viva na pele. Um pouco de você, um pouco ser seu filho. Um pouco das suas idéias, um pouco do filho deles. Faz tempo que passaste por aqui. Faz tempo que não causaste mal…mas até quando vamos lembrar, para esquecer logo em seguida?


Seria melhor não chorar por essas mágoas, seria melhor não ter sentido tanta dor. Seria…talvez. Para cada passo que nós temos, nos tornamos diferentes que fomos no começo. E a cada dia, esperamos esquecer todos esses erros, lembrando-nos de que não devem ser repetidos. E suas desculpas não se têm muito efeito. Que venha sua absolvição!