Posts com Tag ‘religião’

Eu explodo (escola fundamentalista extremista)

Publicado: fevereiro 28, 2010 em Sem categoria
Tags:, , ,



Eu explodo…. o “explodo” era um verbo defectivo , pois não existia na 1ª pessoa do singular.
Mas os tempos são outros , o pessoal hoje se explode.
Eles conjuram verbetes de seus livros grossos , demonizam alguém e pronto! Se explodem.


Queria ter essa afinidade com a razão fundamentada que eles possuem.( e sua loucura)
Para se explodir por algo em que acreditam , tem que ser muito louco ou muito certo do que estão fazendo.
Se utilizassem essa vontade explosiva de outros modos , também seria interessante.


Eu queria ter essa certeza na vida , a ponto de me explodir.
Entrar num curso de fundamentalista extremista e técnicas de explosão.
Se inteirar nas artes da destruição do corpo com pólvora , explosivo plástico e nitroglicerina.


Apesar da fé , e da vontade louca de lutar a guerra santa , ainda há muito o que se descobrir além dessa superfície.
Mas os camaradas explodem. Queria eu estar com tamanha razão.
Deveriam criar um curso aqui no Brasil , teriam muitos adeptos; É só adaptar para as religiões que temos.
Mas não iria nas aulas religiosas.Só nas aulas práticas.
E poder usar o verbo na 1ª pessoa do singular. Só para contrariar o português. Ora pois!


Mas os camaradas explodem…gostaria de explodir junto com eles….dizem que tem 72 virgens esperando,
Nem precisa ser virgem , que não sejam tortas ou banguelas já é uma ajuda.
Eles explodem , eu explodo , nós explodimos…e com isso , deixamos o verbo correto!
Ah, às vezes , eu explodo é por dentro. Só queria exteriorizar essas frustrações.
E quando você explode , você fundamenta seu argumento, não é?!

Anúncios

Horizontes

Publicado: janeiro 26, 2010 em Sem categoria
Tags:, , , ,

“Quais suas metas? Seu projeto em vida? O que planeja fazer depois do almoço?
O que acha do mundo ? O que acha do destino e suas malhas complexas de incríveis acontecimentos por acaso? O que acha dessa força irresistível que chamamos de Deus?”
-Muitas perguntas, poucas respostas, grande preguiça e muita confusão.
“Quais horizontes que você enxerga? Um sol se pondo, um pequeno milagre da percepção humana ou mais um dia na sua vida?”
-Ainda…muitas perguntas, poucas respostas e o mundo parece rotacionar (ainda que os “anti-copérnicos” não admitam isso).
“Problemas políticos, conflitos religiosos, catástrofes ambientais. Parece qua acontece algo no mundo. ha sim, o fim do mundo como o conhecemos.
Talvez não seja tão ruim. Talvez não seja tão triste. Sobre as nuvens e brilho cintilante do sol, cavalgam os cavalheiros do apocalipse. Basta olhar com um sorriso no rosto quando a morte chegar.”
-Muito sinistro, muito estranho, e ainda sem respostas.
“Qual a resposta sem nem sabemos a pergunta certa? E qual a razão para procurá-la? Qual a razão de se ter razão? A razão da vida e seus motivos?”
-Estou tentando…é um bom caminho para a loucura, mas vou continuar tentando!

O louco da masmorra

Publicado: janeiro 20, 2010 em Sem categoria
Tags:, , , , , ,

De cima da masmorra , está um louco , preso por falar o que pensa e por contraiar as leis da sociedade em que vive.

“Meu rei , o que faremos com aquele homem? Suas obcenidades e blasfêmias , pode atingir o ouvido de crianças bem criadas” , disse o sacerdote.

O consultor , um renomado pensador , disse : “Ele não tem nexo com essa realidade , se expurgá-lo de nossa sociedade é capaz que volte. Pelos seus delitos e pelo risco que representa , deve ser sacrificado”.

O homem louco , não entende a prisão.O mundo dos homens não faz sentido:
“Suas leis são contraditórias e suas religiões entram em conflito e estão maculadas pela cobiça. Por que insistem nos mesmos erros? E depois eu que sou louco?”

A morte espreita o homem louco , mas o que fazer a mercê da morte? Qual o último pensamento ? O que fará jus a toda sua vida , no momento derradeiro?

“Não serei mártir , nem mesmo sei se sou culpado…apenas ignoro a sociedade que me impuseram. Meus pensamentos , são confusos , não são como os deles. Minhas ações são práticas , não tem a mesma razão que a deles. A culpa de ser louco é minha ou deles que criaram o mundo inflexível que vivo? Não posso negar meus erros , mas nego ser um brinquedo na mão do destino que manipulam. A verdade deles é corrupta”
-Disse o louco , interlocutor de suas próprias ações , criando a narrativa do seu fim.

Rasgando sua camisa improvisou uma corda , e da corda , uma forca. Amarrou-a na grade da janela que servia para comtemplar a liberdade perdida.

Logo em seguida , cheguem os homens do castelo:
Os sacerdotes olham com abominação , e dizem : “vai queimar no inferno , não quis receber a pena dos homens , e agora receberá a pena divina.”

O Consultor , pensador renomado , disse: “Isso é uma fuga , um escapismo pois não pode aguentar as conseqüencias dos seus atos.”

Mas no fundo da cela , estava uma dedicatória a esses homens , do homem louco , escrita a sangue:

“Aos sacerdotes , não me curvo as suas doutrinas , já que vocês se limitam a não saber nem mesmo sua razão de existir , mas não discuto com vocês , pois em suas cabeças , o céu está prometido e a vitória garantida! Nada mais importa a pensar e fazer , desde que seja em proveito próprio.

Aos pensandores , se tornaram os mesmo que os demais , se alienaram e se limitaram em pensar no agora e nas formas de que lhe foram propostas , perderam a habilidade de pensar e seus cérebros atrofiaram pelo comodismo.

Ao invés de ser morto por vocês , morrei pelas minhas mãos e tirarei a diversão e as chacotas desse momento mágico em que desfrutam. O inferno e a fuga me esperam”

A cena por si só atinge a todos , mas talvez não por ser um pecado , ou por ser considerado uma fuga : Mas pelo simples fato de se personificarem naquela pessoa e perceberem a tristeza da realidade que vivem , e que se enganam diariamente , usando as máscaras que criaram. Suas convicções o trouxeram até a esse momento.